Atualmente, muitas pessoas procuram informações sobre como montar um restaurante.

Já que, aparentemente, essa pode parecer uma das ideias mais simples e mais certeiras de como criar um negócio.

Afinal, todo mundo precisa se alimentar, não é mesmo? Aliás, essa premissa é uma das razões mais comuns por que as pessoas optam por esse modelo de negócio.

Outro pensamento comum de quem pretende abrir um restaurante é “eu já sei cozinhar, portanto, estou preparado para abrir meu restaurante”.

Talvez, esse excesso de confiança nas habilidades culinárias e na frase de senso comum citada acima, aliadas à falta de planejamento é o que leva tantos empreendedores a terem resultados ruins nesse ramo.

Só para ilustrar, segundo dados divulgados pelo Sebrae, cerca de 35% dos restaurantes fecham as portas antes de completarem 2 anos.

Apesar disso, os dados também revelam que o crescimento na área tem sido de, em média, 10% ao ano. Portanto, esse pode sim ser um ramo bastante lucrativo e vale a pena investir nele.

Desde que você tome o cuidado de planejar muito bem todos os passos de como montar um restaurante. Então, descubra abaixo que passos são esses e como transformar sua ideia num negócio lucrativo.

 

Entenda o passo a passo de como montar um restaurante e faturar muito!

Como montar um RestauranteNos últimos anos, o comportamento do brasileiro em relação à alimentação mudou bastante.

Só para exemplificar, nessa matéria divulgada pelo portal G1, com dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares, cada vez mais, as famílias brasileiras têm gastado dinheiro para se alimentar fora de casa.

Outro dado interessante mostrado é que o gasto com arroz e feijão para serem preparados em casa também têm diminuído. Enquanto o gasto com comidas prontas têm aumentado.

Assim, como se pode perceber, o cenário é animador para quem anda considerando a ideia de montar um restaurante.

Entretanto, como eu afirmei na introdução, é preciso se planejar muito bem! Além de evitar alguns erros muito comuns no segmento. Para isso, confira abaixo o passo a passo que preparei para te ajudar.

 

1. Conheça os principais tipos de restaurante

Sem dúvida alguma, o primeiro passo de como montar um restaurante envolve conhecer as tipologias e analisar opções. Afinal, isso vai te ajudar a definir vários passos importantes a seguir.

Assim, alguns dos tipos de restaurantes (também chamados de conceitos de restaurantes) bastante comuns são:

  • Self-service: o cliente escolhe dentre os alimentos expostos e se serve na quantidade desejada.
  • À la carte: os pratos são escolhidos pelo cliente, mediante ao cardápio e produzidos conforme a demanda.
  • Fast food: foco em comidas práticas e que possam ser produzidas em poucos minutos.
  • Rodízio: o preço é pré-determinado e sempre o mesmo para todos os clientes, independente do quanto eles consumam.
  • Típico: foco em comidas típicas de determinado país, ou região. Como, por exemplo, comida Italiana, Mineira, Japonesa, Mexicana etc.
  • Food truck: consiste numa novidade que tem feito bastante sucesso. Os alimentos são preparados e servidos num veículo próprio para isso. Portanto, o diferencial é a mobilidade, já que o dono do food truck pode optar por pontos movimentados da cidade, com data e horário marcado.
  • Cozinha autoral: esse tipo de restaurante tem como principal diferencial um chef. Assim, os pratos são criados por esse chef. Geralmente, ele é voltado para um público de maior poder aquisitivo.
  • Familiar ou casual: tem como principal foco oferecer jantares em família, muitas vezes, optando pelos pratos clássicos.
  • Jantar fino: tem como foco oferecer pratos finos e até mesmo os pratos gourmet, para público de alto poder aquisitivo.

Hoje em dia, esses são alguns dos conceitos mais comuns de restaurante. E é bem provável que você também já conheça todos ou quase todos eles. Então, vamos ao próximo passo.

 

2. Como escolher o conceito de restaurante certo para você

Como escolher o conceito de restaurante certo para vocêAcima, você viu alguns dos tipos de restaurantes mais comuns atualmente. Contudo, conhecê-los é apenas meio caminho andado! Porque ainda é preciso definir com qual deles você pretende trabalhar.

Como se pode perceber, quando pensamos em determinado conceito de restaurante, pensamos também em outros detalhes.

Como, por exemplo, o público-alvo, a localização, a decoração, o branding, os pratos e até mesmo o preço cobrado.

Talvez, uma das formas mais comuns de se escolher é pela habilidade. Isto é, muitas vezes, quem pretende abrir um restaurante pode ter o conhecimento da culinária japonesa, ou pode ter trabalhado anos na cozinha de um restaurante que oferecia rodízio…

Assim, a opção mais comum é que o empreendedor escolha de acordo com o que ele já sabe.

No entanto, outra opção é escolher de acordo com a localização. Já que ao achar um bom ponto comercial, você pode avaliar qual o melhor conceito para aquele lugar.

Para exemplificar, muitos restaurantes no centro da cidade optam pelo self-service. Justamente, porque há um grande número de transeuntes.

Sendo assim, cabe a você analisar o que importa mais para você nessa escolha. Além de avaliar possíveis oportunidades de mercado.

 

3. Entenda o seu público-alvo

O terceiro passo de como montar um restaurante é este: entender o seu público-alvo.

Afinal, depois de definir o seu conceito, esse é um passo natural. Isto é, você já terá uma ideia de quem será sua clientela.

Entretanto, é importante evitar um erro bastante comum de quem é empreendedor de primeira viagem nesse segmento. Que é, justamente, tentar agradar todo mundo.

Só para exemplificar, dando continuidade ao que vimos no tópico acima, pense em alguém que deseja criar um restaurante do tipo rodízio.

Nesse conceito, são bastante comuns os rodízios de pizza, de carnes ou até mesmo de comida típica, como o rodízio de comida japonesa ou mexicana.

Embora, nos últimos tempos, outras opções estejam virando tendência. Como, por exemplo, os rodízios de hambúrgueres, de bolos e doces e até mesmo de coxinha.

Nesse caso, para quem está começando, é importante escolher uma única coisa. Como, por exemplo, criar um restaurante que trabalha apenas com o rodízio de pizza. Visto que isso vai te ajudar a reduzir os custos no começo.

Além disso, outros fatores que devem ser considerados na hora de definir seu público-alvo são: o poder aquisitivo, a localização do ponto comercial, os interesses, a idade e até mesmo o gênero da sua clientela.

Se quiser entender melhor sobre esse assunto, leia também esse artigo sobre Segmentação de mercado.

 

4. Pesquise seus concorrentes

Em quarto lugar, também é essencial pesquisar e até mesmo visitar seus concorrentes para avaliá-los. Pois isso pode te oferecer uma grande vantagem competitiva.

Lembre-se que, como restaurantes são comuns, você precisará se diferenciar da concorrência para não acabar oferecendo “mais do mesmo”.

Então, é essencial pensar nas razões por que alguém escolheria comer no seu restaurante e não no seu concorrente.

Assim, nessa equação entram fatores como: bom atendimento, preço, experiência diferenciada e local aconchegante. E, é claro, pratos deliciosos e até mesmo receitas exclusivas.

 

5. Escolha uma boa localização ao montar o restaurante

Escolha uma boa localização ao montar o restauranteAssim como diversos fatores, a localização do seu restaurante deve ser escolhida pensando no tipo de restaurante e também no público-alvo. Na prática, o ideal é encontrar um ponto de encontro entre esses 2 fatores.

Só para exemplificar, para quem vai abrir um restaurante que oferece pratos finos, sua preferência deve estar em localizações onde haja público de maior poder aquisitivo.

Já no caso de um fast food, não adianta escolher apenas um local movimentado. É preciso também encontrar um local onde haja pessoas que possam se interessar pelos seus pratos.

Geralmente, os fast foods são escolhidos por pessoas mais jovens. Então, pense nisso!

 

6. Teste e defina seu cardápio

O próximo passo de como montar um restaurante é começar a ter uma ideia dos pratos que você pretende oferecer.

Afinal de contas, o cardápio é o coração do seu negócio!

Portanto, pesquise online, experimente receitas de outros restaurantes, use as receitas que você já conhece e até mesmo pesquise em livros. Sempre levando em conta o conceito de restaurante escolhido.

Para começar o ideal é fazer um brainstorming. Depois disso, é hora de colocar a mão na massa e testar essas receitas.

Desse modo, você ficará apenas com os melhores pratos. Lembrando que você pode até mesmo adaptar essas receitas e modificá-las. Para melhor se adequarem ao seu público e até mesmo ao seu estilo culinário.

Contudo, tome muito cuidado! Pois aqui está também um dos erros mais comuns de quem quer começar um restaurante.

Muitas vezes, na empolgação, os chefs prezam pelo sabor da comida. Mas acabam se esquecendo de anotar todos os custos de cada uma das receitas.

Consequentemente, você pode acabar com a casa cheia, mas com o caixa vazio!

Sendo assim, avalie essas receitas não apenas do ponto de vista do sabor. Mas também dos custos. Além de pensar se o preço que você vai precisar cobrar cabe no bolso do seu público-alvo.

Contudo, outro ponto essencial na hora de criar seu cardápio é pensar no tempo de preparação de cada receita. Muitas vezes, algumas receitas podem ser saborosas e ter um bom custo.

Mas tomam muito tempo de preparação, o que nem sempre é o que o seu cliente em potencial busca.

7. Não se esqueça da ficha técnica de cada prato

Não se esqueça da ficha técnica de cada pratoAinda complementando a dica acima, aqui temos outro erro comum de quem está começando um restaurante!

Muitas pessoas, por exemplo, se deixam levar pelo fato de que estão no comando da cozinha. No entanto, o que acontece no seu dia de folga? A sua equipe pode não estar tão bem preparada quanto você imaginava!

Portanto, cada uma das receitas do seu cardápio precisa estar muito bem descrita. Em relação não só aos ingredientes, mas também às quantidades e ao modo de preparo.

Isso garante que, mesmo que haja trocas na equipe da cozinha, seus pratos sejam sempre preparados com a mesma qualidade.

8. Padronize tudo o que puder

Em oitavo lugar, complementamos a dica acima! Independentemente do conceito de restaurante escolhido, a padronização é um dos fatores mais importantes.

Como citei acima, é preciso padronizar, por exemplo, o tempo e o modo de preparo, os ingredientes de cada prato, a quantidade servida etc.

Isso garante que não haverá disparidade nesses fatores. O que, muitas vezes, pode deixar clientes insatisfeitos.

Só para exemplificar, imagine que um cliente visita o seu restaurante pela segunda vez e percebe que determinado prato não está tão bom quanto da primeira vez…

Detalhes simples, como estes, podem ser o suficiente para que da próxima vez ele acabe visitando o seu concorrente!

 

9. Escolha bons fornecedores

Escolha bons fornecedoresSem dúvida alguma, no ramo de alimentação, a escolha dos fornecedores é um passo essencial para o sucesso do negócio.

Então, o primeiro fator a ser avaliado é a qualidade dos alimentos. Afinal, isso influenciará muito no resultado final dos pratos.

E quando o assunto são os alimentos, o ideal é optar por fornecedores próximos, sempre que possível. Pois isso garante que os alimentos estarão sempre frescos.

Além disso, há também de se avaliar o transporte e o armazenamento. Portanto, visite os fornecedores e avalie as condições.

Também não se esqueça de avaliar o preço. Já que isso influenciará no custo de produção de cada prato. Consequentemente, no valor cobrado do seu cliente e até mesmo no seu lucro.

Por último, mas não menos importante, é verificar se o fornecedor é pontual na hora da entrega. Lembre-se que um atraso na entrega também pode prejudicar bastante a sua produção.

 

10. Controle de estoque do restaurante

Certamente, o controle de estoque também é um dos passos mais importantes de como montar um restaurante.

Afinal, é preciso ter a quantidade necessária de acordo com a demanda. Mas também é preciso tomar cuidado com os prazos de validade dos alimentos.

Sendo assim, é importante ter um sistema de controle, tanto da entrada, quando da saída de mercadorias.

Tanto daquelas que tem um prazo de validade maior, como, por exemplo, grãos, produtos enlatados e industrializados.

Quanto daqueles produtos que estragam rapidamente, como frutas e legumes. E que, consequentemente, demandam a reposição constante.

Além disso, também é essencial que você faça um inventário regularmente. Para prevenir erros que podem ser causados pelo esquecimento na hora de dar baixa.

Então, podemos dizer que o estoque é também um dos fatores que mais pode transformar seus lucros em prejuízos. Por isso, esteja sempre atento.

 

11. Contrate e treine a sua equipe

Contrate e treine a sua equipeNum restaurante é preciso ter sempre uma equipe qualificada e muito bem treinada. Desde o pessoal da cozinha, até mesmo quem trabalha no caixa e os garçons.

Lembre-se que a experiência de ir até um restaurante é definida não só pelo que comemos. Mas também sobre como somos atendidos e até mesmo sobre quanto tempo passamos ali por vontade própria.

Sendo assim, todos os membros da sua equipe precisam estar capacitados para fazer o melhor possível, e uma boa gestão de pessoas vai te ajudar.

12. Pense na possibilidade de agregar outros serviços

Num dos tópicos acima, eu falei que para quem está começando o ideal é manter o negócio enxuto.

Contudo, aqui vai uma ressalva! Incluir um bom serviço de delivery é sempre uma boa ideia.

Além disso, incluir o conceito de rodízio também pode ser uma boa ideia em alguns casos. Isso vale, por exemplo, para quem tem um restaurante casual, típico ou à la carte.

Visto que, a ideia é oferecer os mesmos pratos que você já oferece. No entanto, em alguns dias da semana, você coloca um preço fixo e permite que os clientes comam à vontade.

Mas lembre-se de avaliar os custos que você terá! E assim, definir se isso compensa para o seu negócio.

 

13. Planejamento financeiro ao montar um restaurante

Planejamento financeiro ao montar um restauranteAntes de tudo, é importante lembrar que o retorno de um restaurante não é imediato! Portanto, comece pensando nisso!

Visto que você precisará não só do capital inicial, mas também de um montante significativo para o capital de giro. Isto é, para manter o seu restaurante funcionando bem nos primeiros meses, em que o lucro não costuma ser alto.

Além disso, alguns dos gastos necessários de como montar um restaurante envolvem:

  • Aluguel ou compra do prédio comercial. Além dos impostos e contas de energia e água.
  • Pagamento da equipe.
  • Compra de equipamentos necessários à produção. Além de mesas, cadeiras, caixa e outros equipamentos necessários. Compra de utensílios, como pratos, embalagens, talheres etc.
  • Matéria-prima para a produção dos alimentos.

Sem dúvida alguma, o investimento necessário será de médio a alto. Portanto, é preciso fazer as contas não apenas na hora de abrir o restaurante. Mas também acompanhar o seu orçamento regularmente.

 

14. Tenha um bom plano de marketing

Hoje em dia, é impensável abrir um negócio sem pensar num bom plano de marketing!

Sobretudo, no começo, quando seu restaurante ainda não é reconhecido na sua região.

Portanto, pensando no seu público-alvo, defina estratégias que podem te ajudar a ter sempre um bom movimento.

Então, se quiser saber como fazer isso, confira no artigo aqui do blog sobre marketing digital.

Mão na massa: agora você já sabe como montar um restaurante!

Hoje, você viu o passo a passo de como montar um restaurante! E como eu disse na introdução desse artigo, é preciso se planejar muito bem para construir um negócio lucrativo.

Na verdade, o ideal é que você tenha todos esses fatores bem planejados antes mesmo de começar! Pois isso garante que suas chances de sucesso serão muito maiores!

Espero que você tenha gostado desse conteúdo. E, se gostou, não se esqueça de assinar minha newsletter logo abaixo. Dessa forma, sempre que eu postar um artigo como este aqui no blog, você fica sabendo.

Sobre o Autor

error: Conteúdo protegido !!